(11) 3287-3017
Avenida Paulista, 1313
sibapem@sibapem.com.br
Ipem-SP fiscaliza veículos-tanque e cronotacógrafos na rodovia SP 310, em Cedral

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, realizou na terça-feira, 28 de junho, fiscalização em veículos transportadores de produtos perigosos e cronotacógrafos, durante a operação “Cavalo de Aço” na rodovia SP 310, km 420, em Cedral, cidade localizada a 423 km da capital.

Durante a operação foi realizada a fiscalização volumétrica de 15 veículos transportadores de produtos perigosos, e não foram encontradas irregularidades. No entanto, dos 11 cronotacógrafos fiscalizados, 3 estavam irregularidades devido o instrumento não ter o certificado de verificação.   

A operação especial integrou conjunto de ações do Ipem-SP que acontecem em todo o estado de São Paulo para verificar as condições dos veículos que transportam produtos perigosos. Na ocasião, os fiscais do instituto inspecionam cerca de 50 itens do tanque que transportam combustíveis líquidos, com objetivo de prevenir acidentes, proteger o cidadão, o patrimônio e o meio ambiente.

Nos veículos que transportam produtos perigosos, os veículos-tanque, os fiscais do instituto inspecionam cerca de 50 itens do tanque que transportam combustíveis líquidos, com objetivo de prevenir acidentes, proteger o cidadão, o patrimônio e o meio ambiente.

O cronotacógrafo, popularmente conhecido como tacógrafo, é um aparelho obrigatório em veículos que transportam produtos perigosos (veículos-tanque), transportadores de GLP, caminhões, veículo escolar e transporte de passageiros com mais de dez lugares, e tem a finalidade de prevenir acidentes nas rodovias ao verificar se os condutores e proprietários dos veículos estão cumprindo a legislação no uso do equipamento, garantindo a todos a segurança nas rodovias e estradas.

Além de registrar informações do percurso, como respeito aos limites de velocidade e distância percorrida, o cronotacógrafo também registra o tempo de condução e descanso do motorista.

Obrigatório em todos os veículos de transporte, com peso bruto acima de 4.536 kg ou com capacidade para mais de dez passageiros, o cronotacógrafo é fundamental para a segurança nas estradas, sendo considerado a “caixa preta” de caminhões, ônibus e vans escolares.

Quando são encontradas irregularidades, o responsável pelo veículo é autuado e tem o prazo de até 10 dias úteis para apresentar defesa junto ao Ipem-SP. De acordo com a lei federal 9.933/99, as multas podem chegar a R$ 1,5 milhão. 

Ipem-SP

O Ipem-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza diariamente, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, brinquedos, cadeiras de carro para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. 

É seu papel também proteger o consumidor para que este leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br. 

Empresas de alimentos devem se atentar às mudanças na Tabela de Informação Nutricional

No último dia 17 de maio o presidente do SIBAPEM, Carlos Amarante, informou aos associados sobre a alteração pela RDC 429 de 8/10/2020, da Anvisa, no padrão de rotulagem nutricional.

Segundo matéria publicada no portal Supervarejo, as novas medidas entrarão
em vigor no dia 09 de outubro de 2022, sendo que entre as principais
alterações destaca-se que as Tabelas de Informação deverão ter apenas letras
pretas em fundo branco com o intuito de facilitar a legibilidade dos dados na
embalagem. 

A tabela também deverá estar localizada próxima à lista de ingredientes do produto e em superfície contínua, sem divisões. Ela não poderá ser apresentada em áreas encobertas, deformadas ou de visualização difícil. A exceção são os produtos de embalagens pequenas – área de rotulagem
inferior a 100 cm² – em que a tabela poderá ser apresentada em áreas encobertas, porém acessíveis. Passa a ser obrigatória a declaração de açúcares totais e adicionados e do valor energético e de nutrientes por 100 g ou 100 ml para ajudar na comparação de produtos bem como o número de
porções por embalagem.

Conforme o cronograma estabelecido pela mesma RDC e registrado pelo portal
Supervarejo, os produtos lançados a partir de sua entrada em vigor já deverão
estar com os rótulos adequados às novas regras. Para os produtos que já se
encontram no mercado, os prazos para adequação são:

• Até 09 de outubro de 2023 (12 meses da data de vigência da norma) para os alimentos em geral;
• Até 09 de outubro de 2024 (24 meses da data de vigência da norma) para os alimentos fabricados por agricultor familiar ou empreendedor familiar rural, empreendimento econômico solidário, microempreendedor individual, agroindústria de pequeno porte, agroindústria artesanal e alimentos produzidos de forma artesanal;
• Até 09 de outubro de 2025 (36 meses da data de vigência da norma) para as bebidas não alcoólicas em embalagens retornáveis, observando o processo gradual de substituição dos rótulos.

A íntegra dessa norma pode ser encontrada no endereço https://www.gov.br/agricultura/pt-br/assuntos/inspecao/produtos-vegetal/legislacao-1/biblioteca-de-normas-vinhos-e-bebidas/resolucao-rdc-no-429-de-8-de-outubro-de-2020.pdf/view.

Para Amarante, a nova medida ajuda o consumidor na escolha de alimentos na medida em que melhora a comunicação com informações mais claras sobre o conteúdo de cada embalagem.

Conforme a APAS – Associação Paulista de Supermercados – embora seja facultativa a rotulagem de produtos embalados no próprio ponto de venda, ela é obrigatória para produtos embalados ou fracionados fora do ponto de venda, centrais etc. Assim, apesar de não ser obrigatória em todos os casos, a APAS recomenda a rotulagem dos produtos embalados na loja a fim de manter o consumidor bem-informado e, para tanto, os supermercados que já utilizam ou pretendem utilizar a rotulagem nutricional nas suas embalagens, devem adequar-se à RDC 429 e, se necessário, fazer a adequação das suas balanças.

Sancionada MP de desburocratização dos cartórios

Foi sancionada na segunda-feira (27/6) a Medida Provisória 1085/2021, que possibilitará o atendimento e acesso aos serviços dos mais de 10 mil cartórios brasileiros pela internet. Incluindo informações sobre imóveis, títulos e documentos civis de pessoas naturais e jurídicas. Trata-se da lei nº 14.382, de 27 de junho de 2022. A data limite para implementação do Sistema Eletrônico dos Registros Públicos (SERP) é 31 de janeiro de 2023.

A Fiesp e a MP1085/2021

A medida publicada no dia 28 de dezembro de 2021 prevê em seu texto diversas bandeiras defendidas pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), como a modernização do Estado, possibilidade de atendimento, pelo Poder Público, através de serviços eletrônicos e estabelecimento de prazos fixos para retorno de solicitações. Outros pontos importantes introduzidos no texto, também apoiados pela Federação, são a redução e a interconexão dos requerimentos, adequando os serviços nacionais às melhores práticas internacionais, permitindo, assim, a melhoria do ambiente de negócios, com base na padronização das informações requeridas.

Ainda, com o intuito de reduzir o curso das operações financeiras, a MP permitirá, por exemplo, a utilização de assinatura eletrônica e a concessão do uso de títulos de créditos a receber e de bens móveis como garantias em empréstimos. Estes são itens de extrema importância para o avanço da economia brasileira e redução do Custo Brasil.

Com a sanção da lei nº 14.382, todos os serviços cartorários poderão ser acessados por uma nova plataforma chamada SERP (Sistema Eletrônico dos Registros Públicos) que trará entre outras vantagens: o atendimento online evitando a necessidade de deslocamento das pessoas até os cartórios, o aumento da segurança jurídica, maior transparência, agilidade, redução das burocracias, dos custos e também dos prazos do processo cartorial no Brasil. A regulamentação de todo esse sistema ficará a cargo do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Fonte: Fiesp

‘O pior momento da inflação já passou’, diz presidente do BC

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda-feira que o pior momento do processo inflacionário no Brasil já passou. A prévia da inflação de junho ficou em 12% no acumulado dos últimos 12 meses, de acordo com o IBGE.

Segundo Campos Neto, os últimos dois números da inflação vieram, pela primeira vez, dentro das expectativas. Ou seja, não houve surpresas de alta nos preços.

— A gente ainda tem no Brasil um componente de aceleração da inflação, mas os últimos dois números foram, pela primeira vez, dentro da expectativa. A gente acha que o pior momento da inflação no Brasil já passou — disse o presidente do BC no X Fórum Jurídico de Lisboa, em Portugal.

Em sua fala, o presidente do BC ressaltou que a discussão sobre inflação se inicia com o tema de energia, como combustíveis, e alimentos, mas que a alta nos preços já está disseminada entre outros produtos, inclusive no Brasil.

Com isso, governos ao redor do mundo e no Brasil tem feito medidas para atenuar essas altas para o consumidor. No caso brasileiro, Campos Neto ressaltou que o governo está estudando algumas medidas e o BC precisa aguardar e entender qual será o efeito delas no processo inflacionário.

De acordo com o presidente do BC, muitos países estão fazendo políticas descoordenadas nesse sentido e isso pode gerar uma queda de investimentos nesses setores.

— Essa falta de coordenação está gerando uma queda em investimento tanto em energia quanto em alimentos. A gente precisa entender que quem produz alimentos e energia não é o governo, é o setor privado e o governo tem que funcionar, tem que endereçar o problema das classes sociais mais baixas, mas a gente não pode se desviar da prática de mercado, porque afinal das contas é o mercado que produz alimentos e energia — disse Campos Neto.

O governo brasileiro tem pensado em várias medidas para atenuar os preços dos combustíveis. O presidente Jair Bolsonaro sancionou o projeto que impõe um teto na cobrança do ICMS e o governo estuda uma PEC para criação do “Pix caminhoneiro”, ampliação do Auxílio Brasil e do vale-gás.

Além disso, Bolsonaro tem trocado constantemente o comando da Petrobras reclamando dos reajustes nos preços de combustíveis. No domingo, o presidente disse que o novo presidente da empresa, Caio Paes de Andrade, chega alinhado ao governo e fará “radiografia” da estatal.

Alta nos juros

Campos Neto também comentou sobre a alta de juros que está acontecendo em nível global e ressaltou que o Brasil começou antes e está “muito perto de ter feito o trabalho todo”. Recentemente, o BC elevou a taxa básica de juros, a Selic, pela 11ª vez seguida e chegou ao patamar de 13,25% ao ano.

— O Brasil está muito perto de ter feito o trabalho todo, alguns outros países estão no meio do caminho, a gente vai ver ainda alguns países subindo bastante os juros e a gente tem que ver o que isso vai gerar em termos de economia mundial. Será que vamos ter recessão mundial? Qual o tipo de desaceleração? — questionou.

O presidente do BC ressaltou que a autoridade monetária vai frear a inflação.

— É importante que o Brasil fez o processo antecipado. Acreditamos que nossa ferramenta é capaz de frear o processo inflacionário e vai frear o processo inflacionário e a gente acha que grande parte do trabalho já foi feito — disse.

Sobre a atividade econômica, Campos Neto ressaltou que o Brasil é um dos poucos países que está tendo revisões para cima das expectativas de PIB.

Na semana passada, o BC elevou sua projeção de 1% para 1,7% de crescimento este ano, apesar da expectativa de desaceleração no segundo semestre por conta dos efeitos da alta nos juros.

— A gente provavelmente terá um PIB forte no segundo trimestre. Obviamente em algum momento tudo que a gente está fazendo vai gerar desaceleração no segundo semestre, mas ainda assim, o crescimento é bastante maior no início do ciclo de ação — apontou.

Fonte: O Globo

Confiança da indústria aumenta em 20 setores

A confiança avançou em 20 setores industriais, recuou em oito e permaneceu estável em um, de acordo com o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) – resultados setoriais de junho da Confederação Nacional da Indústria (CNI). O indicador subiu em todos os setores, regiões do Brasil e portes (pequenas, médias e grandes empresas) na comparação com maio. Foram ouvidas 2.191 empresas, sendo 867 de pequeno porte, 798 de médio porte e 526 de grande porte, entre 1º e 9 de junho.

Os setores mais confiantes em são: Produtos diversos, Calçados e suas partes, Impressão e reprodução de gravações, Confecção de artigos do vestuário e acessórios e Extração de minerais não metálicos. Em todos eles, o ICEI está acima de 60 pontos. Esse índice varia de 0 a 100, com uma linha de corte em 50 pontos. Quanto mais acima dessa linha, maior e mais disseminada é a confiança.

Entre os 20 setores com alta na confiança, as maiores altas na comparação com maio foram registradas nos setores: Produtos de borracha (+7,9 pontos), Produtos de limpeza, perfumaria e higiene pessoal (+7,2 pontos) e Produtos têxteis (+4,6 pontos).

Em oito setores a confiança recuou, principalmente nos setores: Biocombustíveis (-2,3 pontos), Couro e artefatos de couro (-2,2 pontos) e Obras de infraestrutura (-2,2 pontos). Mesmo assim, o indicador desses setores está acima de 50 pontos.

Maior avanço da confiança aconteceu no Norte do Brasil

O maior avanço da confiança aconteceu no Norte do Brasil (+3,0 pontos), puxado sobretudo pelo avanço da confiança do setor de Equipamentos de informática, produtos eletrônicos e outros, o setor com maior peso no PIB industrial da região. 

Em seguida, houve avanço no Sudeste (+2,1 pontos), Sul (+1,2 ponto) e Nordeste (+1,1 ponto), com grande influência do setor de Produtos de borracha, que apesar de não estar entre os maiores setores industriais dessas regiões, teve forte avanço da confiança no mês. 

No Centro-Oeste a confiança ficou praticamente estável (+0,1 ponto), porque o aumento da confiança de setores importantes para a região, como Produtos alimentícios e Celulose, papel e produtos de papel, foi equilibrado por uma queda da confiança do setor de Biocombustíveis, também importante para a região.

Fonte: Portal da Indústria

Ipem-SP verifica radares em Sorocaba

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, realizou verificação metrológica nesta quarta-feira, 22 de junho, nos radares instalados em Sorocaba, cidade localizada a 87 km da capital. Foram eles:

– Rodovia Raposo Tavares (SP 270), km 084;

– Rua Antônio Silva Saladino, nº 1120

Os instrumentos foram aprovados.

Diariamente, o Ipem-SP realiza a verificação metrológica dos radares, instrumentos utilizados para medir e registrar velocidade destinados ao monitoramento do trânsito, em todo o Estado de São Paulo. Conforme a Portaria Inmetro 544/2014, é obrigatória a verificação metrológica uma vez por ano ou toda vez que o equipamento passar por reparo.

A verificação metrológica no radar leva de 20 minutos até uma hora. A ação envolve os fiscais do Ipem-SP e a equipe da empresa responsável pelo instrumento.

Em caso de chuva, a verificação é cancelada. O cancelamento também pode ocorrer poucas horas antes do agendado, conforme solicitação dos agentes de trânsito ou empresa responsável pelo equipamento.

Caso o equipamento seja aprovado, recebe um certificado válido por um ano. Quando há reprovação a empresa fabricante é notificada a corrigir o erro.

Em caso de excesso de velocidade, para aplicação de multas, o equipamento precisa estar verificado pelo Ipem-SP.

A ação foi realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em São José do Rio Preto.

A verificação metrológica

O radar, expressão em inglês radio detection and rangig, é um aparelho que localiza objetos a longa distância utilizando ondas eletromagnéticas. Possui antena emissora/receptora de ondas de rádio que se propagam até atingirem o alvo, retornando ao radar. A diferença de tempo de ida e de volta da onda determina a distância ou a velocidade do objeto. Portanto, nem todos os medidores de velocidade que chamamos de “radar” são radares de fato. Veja:

Medidor por radar propriamente dito: transmite e recebe ondas contínuas na faixa de micro-ondas, propiciando a medição da velocidade do veículo alvo através do efeito Doppler.

Medidor óptico: projeta um feixe de luz (laser) no veículo alvo, e a medição é feita pelo processamento da energia por ele refletida.

Medidor de sensores de superfície: utiliza sensores instalados na superfície da via que detectam a passagem do veículo. A medição é feita em função do tempo de passagem do veículo entre dois sensores cuja distância entre eles é fixa e conhecida.

Em geral, os medidores são constituídos por:

– Dispositivo de detecção, que identifica as distâncias necessárias para o cálculo da velocidade dos veículos.

– Dispositivo de medição, constituído por micro processador e software que capta os dados do sistema de detecção e efetua o cálculo da velocidade.

– Dispositivo de processamento, constituído por um processador e software dedicado ao controle do sistema.

– Dispositivo de armazenamento, que registra e armazena os dados referente à medição.

– Dispositivo de registro óptico, constituído por câmera fotográfica ou de vídeo capaz de identificar o veículo.

Os medidores podem ser fixos, portáteis (tipo pistola), móveis (instalados em veículos em movimento) ou estáticos (sobre suporte que pode ser deslocado de um ponto para outro). No Estado de São Paulo é o Ipem-SP que fiscaliza todos esses instrumentos e verifica se apresentam medições corretas. A verificação dos instrumentos em operação é feita uma vez ao ano (verificação periódica), ou sempre que sofrem manutenção ou transferência de local de instalação (verificação eventual).

As verificações metrológicas são realizadas com a utilização de uma viatura oficial, dotada de medidor de velocidade de alta precisão previamente calibrado (padrão). Os ensaios são realizados em cinco velocidades diferentes. Após a passagem da viatura pelo medidor, os resultados registrados pelo seu sistema fotográfico são confrontados com os resultados obtidos pelo padrão do Ipem-SP.

Os medidores aprovados recebem um laudo técnico com validade para um ano. Se forem reprovados, a empresa responsável pelo medidor é autuada e o equipamento é interditado.

Vale lembrar que para as multas emitidas em função dessas medições serem legítimas, o medidor de velocidade precisa ter sido verificado e aprovado pelo Ipem-SP, e estar dentro do prazo de validade. Para saber se o medidor de velocidade está dentro da validade, acesse o Portal de Serviços do Inmetro nos Estados (PSIE). Acesse https://tinyurl.com/yas4uvds

Ipem-SP

O Ipem-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza diariamente, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, brinquedos, cadeiras de carro para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também proteger o consumidor para que este leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br

Siga o Ipem-SP­­­­­­­­­­­­­­­­­ nas redes sociais @ipemsp

Aneel reajusta bandeiras tarifária de  conta de luz

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou, nesta 3ª feira (21.jun.2022), o aumento de até 64% nas bandeiras tarifárias. Cada bandeira é acionada de acordo com o cenário de geração de energia, que varia de favorável (verde) a desfavorável (escassez hídrica). Em vigor hoje, a bandeira verde não terá custo adicional ao consumidor. Foi aplicada em maio a todos os consumidores pela 1ª vez desde a crise hídrica. Segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), a expectativa é que fique em vigência até o final de 2022….

O aumento foi de 59,5% para a bandeira amarela, 63,7% para a vermelha patamar 1 e 3,2% para a vermelha patamar 2. Valem para o período de julho de 2022 a junho de 2023. Eis os valores aprovados: amarela: R$ 2,99 a cada 100 KWh; vermelha patamar 1: R$ 6,50 a cada 100 KWh; vermelha patamar 2: R$ 9,79 a cada 100 KWh. De acordo com a Aneel, o aumento se deve aos dados de compra de energia durante a crise hídrica, em 2021; aos custos com a geração térmica, por conta da alta nos combustíveis; e à inflação….

Fonte: Poder 360

RF suspende obrigatoriedade de documento original para autenticar cópia

Segundo a nova instrução normativa, a apresentação de documento original deixa de ser obrigatória “no âmbito da análise documental realizada na prestação de serviços” da Receita Federal.

Para requisição da prestação de serviços da Receita, passarão a ser aceitos documentos em cópia simples ou cópia eletrônica obtida por meio de digitalização.

A medida entra em vigor em 1º de julho.

Segundo a Receita, a autenticidade e a veracidade dos documentos deverão ser atestadas pelas unidades e equipes de atendimento do órgão, mediante a adoção dos seguintes procedimentos:

  • verificação de documentos de identificação locais, caso haja convênio entre a Receita e seus respectivos órgãos emissores;
  • verificação dos selos ou códigos de autenticidade dos documentos expedidos pelos Tribunais de Justiça, Departamento Nacional de Trânsito, Tribunal Superior Eleitoral, Cartórios, dentre outros;
  • comparação entre as informações constantes dos documentos apresentados e aquelas constantes das bases de dados da Receita;
  • contato com o interessado por telefone ou outro meio eletrônico

Fonte: G1 Notícias

Reunião do Copom deve elevar juro básico

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne nesta quarta-feira (15) para definir a taxa básica de juros da economia.

A expectativa da maior parte dos economistas do mercado financeiro é que a Selic seja elevada em 0,5 ponto percentual, passando dos atuais 12,75% para 13,25% ao ano. A decisão sobre a Selic será anunciada após as 18h.

Se confirmado, este será o décimo primeiro aumento seguido do juro, o que levará a taxa ao maior patamar desde dezembro de 2016, quando estava em 13,75% ao ano.

O novo aumento no juro básico da economia é esperado pelo mercado financeiro com base em indicações do próprio Banco Central.

No encontro anterior do Copom, em abril, o BC informou que promoveria nova alta, mas em menor intensidade do que a alta anterior (de 1 ponto percentual).

Inflação em alta

O objetivo da alta no juro é tentar conter o aumento da inflação. O IPCA — a inflação oficial do país — ficou em 0,47% em maio, com desaceleração na comparação com o mês anterior. Mesmo assim, acumulou um aumento de 11,73% em doze meses.

No mês passado, foram as passagens aéreas e os remédios que exerceram maior pressão sobre a taxa, enquanto alimentos importantes na mesa dos brasileiros ajudaram a contê-la.

Em fevereiro, o presidente do BC, Roberto Campos Neto, avaliou que a inflação brasileira deveria atingir seu pico entre abril e maio, começando a desacelerar nos meses seguintes.

Sistema de metas

Para calibrar o nível dos juros, o sistema adotado é o de metas de inflação. Quando a inflação está alta, o BC eleva a Selic. Quando as estimativas para a inflação estão em linha com as metas, o Banco Central reduz a Selic.

Em 2022, a meta central de inflação é de 3,5% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2% a 5%. O mercado financeiro e o BC, porém, já preveem a inflação de quase 8,89% em todo este ano. Se confirmado, será o segundo ano seguido de estouro da meta de inflação.

Neste momento, o BC já está ajustando a taxa Selic para atingir a meta de inflação do ano que vem, uma vez que as decisões sobre juros demoram de seis a 18 meses para terem impacto pleno na economia.

Para 2023, a meta de inflação foi fixada 3,25%, e será considerada formalmente cumprida se oscilar entre 1,75% e 4,75%.

Na semana retrasada, o mercado financeiro estimou que a inflação oficial somará 4,39%. A previsão, portanto, está acima da meta central, mas ainda dentro do intervalo de tolerância.

Consequências da alta dos juros

De acordo com especialistas, o aumento do juro básico da economia, para conter a inflação, tem vários reflexos na economia, entre os quais:

Fonte: Notícias G1

Ipem-SP verifica balança rodoviária

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, realizou na sexta-feira, 10 de junho, a verificação periódica de uma balança rodoviária estática com capacidade de 100 toneladas, utilizada para pesagem de contêineres do Porto de Santos, cidade situada a 77 km da capital. O instrumento foi aprovado ao estar em condição normal de uso e operação. 

A empresa responsável pela balança precisa do certificado de verificação do Ipem-SP para ter autorização na Alfândega, com a finalidade de importar ou exportar produtos no porto.

As balanças rodoviárias são equipamentos utilizados por empresas de diversos segmentos para medir de forma adequada o peso de grandes cargas, e na determinação da massa para o cálculo de pedágio, tarifa, imposto, remuneração, subsídio, taxa ou um tipo similar de pagamento.  

De acordo com a regulamentação do Inmetro, todas as balanças utilizadas para transações comerciais devem cumprir determinadas exigências. Esses requisitos garantem que nenhuma das partes envolvidas tenha prejuízo na compra ou venda de um produto medido pelo peso.  

A fiscalização das balanças é feita anualmente pelas equipes do Ipem-SP para verificação de diversos pontos como: nivelamento, a superfície na qual a balança está instalada dever ser plana e resistente; presença do selo de verificação e de placa de identificação com informações sobre o fabricante, modelo, carga máxima e mínima, entre outros.  

A ação foi realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em Santos.  

Fonte: Ipem-SP

pt_BRPortuguese