(11) 3287-3017
Avenida Paulista, 1313
sibapem@sibapem.com.br
Ipem-SP verifica radar na rodovia SP 413

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado, vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania, e órgão delegado do Inmetro, realizou verificação metrológica na quinta-feira, 26 de maio, no radar instalado na rodovia Norival Pereira Matos (SP 413), km 000, em Miguelópolis, cidade localizada a 410 km da capital. O instrumento foi aprovado.

Diariamente, o Ipem-SP realiza a verificação metrológica dos radares, instrumentos utilizados para medir e registrar velocidade destinados ao monitoramento do trânsito, em todo o Estado de São Paulo. Conforme a Portaria Inmetro 544/2014, é obrigatória a verificação metrológica uma vez por ano ou toda vez que o equipamento passar por reparo.

A verificação metrológica no radar leva de 20 minutos até uma hora. A ação envolve os fiscais do Ipem-SP e a equipe da empresa responsável pelo instrumento.

Em caso de chuva, a verificação é cancelada. O cancelamento também pode ocorrer poucas horas antes do agendado, conforme solicitação dos agentes de trânsito ou empresa responsável pelo equipamento.

Caso o equipamento seja aprovado, recebe um certificado válido por um ano. Quando há reprovação a empresa fabricante é notificada a corrigir o erro.

Em caso de excesso de velocidade, para aplicação de multas, o equipamento precisa estar verificado pelo Ipem-SP.

A ação foi realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em Ribeirão Preto.

A verificação metrológica

O radar, expressão em inglês radio detection and rangig, é um aparelho que localiza objetos a longa distância utilizando ondas eletromagnéticas. Possui antena emissora/receptora de ondas de rádio que se propagam até atingirem o alvo, retornando ao radar. A diferença de tempo de ida e de volta da onda determina a distância ou a velocidade do objeto. Portanto, nem todos os medidores de velocidade que chamamos de “radar” são radares de fato. Veja:

Medidor por radar propriamente dito: transmite e recebe ondas contínuas na faixa de micro-ondas, propiciando a medição da velocidade do veículo alvo através do efeito Doppler.

Medidor óptico: projeta um feixe de luz (laser) no veículo alvo, e a medição é feita pelo processamento da energia por ele refletida.

Medidor de sensores de superfície: utiliza sensores instalados na superfície da via que detectam a passagem do veículo. A medição é feita em função do tempo de passagem do veículo entre dois sensores cuja distância entre eles é fixa e conhecida.

Em geral, os medidores são constituídos por:

– Dispositivo de detecção, que identifica as distâncias necessárias para o cálculo da velocidade dos veículos.

– Dispositivo de medição, constituído por micro processador e software que capta os dados do sistema de detecção e efetua o cálculo da velocidade.

– Dispositivo de processamento, constituído por um processador e software dedicado ao controle do sistema.

– Dispositivo de armazenamento, que registra e armazena os dados referente à medição.

– Dispositivo de registro óptico, constituído por câmera fotográfica ou de vídeo capaz de identificar o veículo.

Os medidores podem ser fixos, portáteis (tipo pistola), móveis (instalados em veículos em movimento) ou estáticos (sobre suporte que pode ser deslocado de um ponto para outro). No Estado de São Paulo é o Ipem-SP que fiscaliza todos esses instrumentos e verifica se apresentam medições corretas. A verificação dos instrumentos em operação é feita uma vez ao ano (verificação periódica), ou sempre que sofrem manutenção ou transferência de local de instalação (verificação eventual).

As verificações metrológicas são realizadas com a utilização de uma viatura oficial, dotada de medidor de velocidade de alta precisão previamente calibrado (padrão). Os ensaios são realizados em cinco velocidades diferentes. Após a passagem da viatura pelo medidor, os resultados registrados pelo seu sistema fotográfico são confrontados com os resultados obtidos pelo padrão do Ipem-SP.

Os medidores aprovados recebem um laudo técnico com validade para um ano. Se forem reprovados, a empresa responsável pelo medidor é autuada e o equipamento é interditado.

Vale lembrar que para as multas emitidas em função dessas medições serem legítimas, o medidor de velocidade precisa ter sido verificado e aprovado pelo Ipem-SP, e estar dentro do prazo de validade. Para saber se o medidor de velocidade está dentro da validade, acesse o Portal de Serviços do Inmetro nos Estados (PSIE). Acesse https://tinyurl.com/yas4uvds

Ipem-SP

O Ipem-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza diariamente, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, brinquedos, cadeiras de carro para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também proteger o consumidor para que este leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br

Fonte: Ipem-SP

Ipem-SP verifica carroçarias para cargas sólidas

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, realizou na quinta-feira, 26 de maio, a verificação inicial de 9 carroçarias de carga sólida na fábrica da Galego, em Votuporanga, cidade situada a 572 km da capital. 

O objetivo é verificar as informações dimensionais e geométricas das carroçarias, conforme informado no seu projeto, para determinar o volume transportável.  

Cabe às equipes do Ipem-SP conferir os cálculos de volume e posição da marca de referência da carroçaria para que o transporte de produtos como areia, brita, madeiras, metais ou grãos estejam dentro das tolerâncias permitidas e impeçam o derramamento de fragmentos do material transportado.  

As verificações ocorrem nas instalações dos fabricantes ou importadores antes que a carroçarias sejam colocadas em uso. São realizadas as medições necessárias para verificar se a medidas estão de acordo com o projeto. Também é verificado o posicionamento da marca de referência. 

Todas verificações são realizadas de acordo com a Portaria Inmetro 70/2016. Para cada carroçaria aprovada é emitido um certificado que atesta a aprovação. 

A ação foi realizada pela equipe de fiscalização do instituto em São José do Rio Preto. 

Fonte: Ipem-SP

Ipem-SP realizará plantão de taxímetro

Os taxistas de Caçapava, cidade localizada a 109 km da capital, já podem consultar no site do Ipem-SP (www.ipem.sp.gov.br) as datas dos plantões, voltados especificamente àqueles que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo. A próxima ação está programada para os dias 30 e 31 de maio, das 9h às 15h, sendo o ponto de partida na avenida rua Vereador Geraldo Nogueira da Silva, bairro do Grama.

Os serviços precisam ser agendados no site do Ipem-SP para realização nas regionais do instituto no estado de São Paulo.

Todos os serviços referentes a taxímetro na Capital e nas regionais do instituto no estado de São Paulo devem ser agendados no site do Ipem-SP, ​tanto para “Verificação” como para “Outros Serviços”. Por exemplo, troca de titularidade, furto, roubo, baixa de taxímetro e atraso de verificação.

O retorno da atividade segue todas as medidas sanitárias de segurança contra o Coronavírus (Covid-19).

O taxista está sujeito à penalidade em caso de atraso ou não comparecimento à verificação anual de taxímetro.

Para realizar a verificação os taxistas devem agendar o horário de atendimento pelo site do Ipem-SP (www.ipem.sp.gov.br) e emitir a GRU (Guia de Recolhimento da União) para o pagamento da taxa de verificação. Sem a quitação da taxa e o agendamento online, a verificação não será realizada.

Na data da verificação, o taxista ou o responsável pelo veículo deve apresentar os seguintes documentos:

– Alvará de estacionamento fornecido pela prefeitura dentro do prazo de validade;

– Certificado de registro e licenciamento de veículo (categoria aluguel);

– Certificado da última verificação do Ipem-SP, referente ao exercício de 2019;

– GRU quitada;

Os serviços de reparo ou manutenção dos taxímetros deverão ser realizados pelas oficinas permissionárias pelo Ipem-SP devidamente autorizadas para a execução das atividades neste ano.

Os taxistas autuados por trafegar com o taxímetro irregular têm dez dias para apresentar defesa ao órgão.

O objetivo da verificação periódica dos taxímetros é certificar se o preço registrado pelo equipamento corresponde, com base na distância e no tempo gasto, ao trajeto percorrido pelo veículo. A verificação abrange também a análise das condições gerais dos veículos, como a rolagem e rodagem dos pneus e do taxímetro (tarifa, lacres, entre outros).

A ação será realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em São José dos Campos.

Interessados em acompanhar a verificação dos radares devem acionar a Assessoria de Imprensa do instituto.   

Fique de olho

Para identificar se o taxímetro foi verificado pelo Ipem-SP, o consumidor deve observar a existência do lacre amarelo, que impede o acesso à regulagem do aparelho, e do selo do Inmetro. Caso o lacre esteja rompido, o consumidor não deve aceitar a corrida, pois o aparelho pode apresentar medição incorreta.

O valor da bandeira é estabelecido pela prefeitura de cada município, mas é importante estar atento ao horário em que as bandeiras ‘um’ e ‘dois’ podem ser utilizadas, para não pagar mais caro pela corrida.

Fonte: Ipem-SP

Confiança de serviços vai à máxima em 7 meses

A confiança de serviços do Brasil registrou em maio seu maior patamar em sete meses, diante de melhora na percepção tanto sobre o momento atual do setor quanto sobre os próximos meses, mostraram dados divulgados nesta segunda-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Em maio, o Índice de Confiança de Serviços (ICS) avançou 2,1 pontos, para 98,3 pontos, máxima desde outubro de 2021 (99,1).

Este foi seu terceiro mês seguido de avanço.

“A alta desse mês foi, mais uma vez, influenciada tanto pela melhora na percepção do volume de serviços no mês quanto pela evolução favorável das expectativas”, explicou o economista da FGV Ibre Rodolpho Tobler em nota. “Outros pontos positivos são a aproximação do nível neutro de 100 pontos e a disseminação entre os segmentos.”

O Índice de Situação Atual (ISA-S), indicador da percepção sobre o momento presente do setor de serviços, ganhou 2,1 pontos, a 98,1 pontos, maior nível desde dezembro de 2013 (99,1), segundo a FGV.

Já o Índice de Expectativas (IE-S), que reflete as perspectivas para os próximos meses, subiu 1,9 ponto, para 98,5 pontos, pico desde dezembro de 2021 (98,7).

“No curto prazo, ainda é possível imaginar uma continuidade da trajetória positiva com a liberação de recursos que podem estimular a demanda, recuperando assim as perdas ocorridas ao longo da pandemia”, avaliou Tobler. “No médio e longo prazo, o ambiente macroeconômico desfavorável parece ser um fator impeditivo.”

Dados divulgados pelo IBGE mais cedo neste mês mostraram que o setor de serviços brasileiro encerrou o primeiro trimestre de 2022 com volume acima do esperado em março e o resultado mais forte para o mês na série histórica iniciada em 2011.

Fonte: Money Times 

Ipem-SP realizará plantão de taxímetro

Os taxistas de Capivari, cidade localizada a 108 km da capital, já podem consultar no site do Ipem-SP (www.ipem.sp.gov.br) as datas dos plantões, voltados especificamente àqueles que precisam validar o instrumento após mudança de veículo, troca ou reparo. A próxima ação está programada para sexta-feira, 27 de maio, das 9h às 11h30, sendo o ponto de partida na avenida Faustina Ancchino, s/nº, próximo da base da Polícia Militar.

Os serviços precisam ser agendados no site do Ipem-SP para realização nas regionais do instituto no estado de São Paulo.

Todos os serviços referentes a taxímetro na Capital e nas regionais do instituto no estado de São Paulo devem ser agendados no site do Ipem-SP, ​tanto para “Verificação” como para “Outros Serviços”. Por exemplo, troca de titularidade, furto, roubo, baixa de taxímetro e atraso de verificação.

O retorno da atividade segue todas as medidas sanitárias de segurança contra o Coronavírus (Covid-19).

O taxista está sujeito à penalidade em caso de atraso ou não comparecimento à verificação anual de taxímetro.

Para realizar a verificação os taxistas devem agendar o horário de atendimento pelo site do Ipem-SP (www.ipem.sp.gov.br) e emitir a GRU (Guia de Recolhimento da União) para o pagamento da taxa de verificação. Sem a quitação da taxa e o agendamento online, a verificação não será realizada.

Na data da verificação, o taxista ou o responsável pelo veículo deve apresentar os seguintes documentos:

– Alvará de estacionamento fornecido pela prefeitura dentro do prazo de validade;

– Certificado de registro e licenciamento de veículo (categoria aluguel);

– Certificado da última verificação do Ipem-SP, referente ao exercício de 2019;

– GRU quitada;

Os serviços de reparo ou manutenção dos taxímetros deverão ser realizados pelas oficinas permissionárias pelo Ipem-SP devidamente autorizadas para a execução das atividades neste ano.

Os taxistas autuados por trafegar com o taxímetro irregular têm dez dias para apresentar defesa ao órgão.

O objetivo da verificação periódica dos taxímetros é certificar se o preço registrado pelo equipamento corresponde, com base na distância e no tempo gasto, ao trajeto percorrido pelo veículo. A verificação abrange também a análise das condições gerais dos veículos, como a rolagem e rodagem dos pneus e do taxímetro (tarifa, lacres, entre outros).

A ação será realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em Piracicaba.

Interessados em acompanhar a verificação dos radares devem acionar a Assessoria de Imprensa do instituto.   

Fique de olho

Para identificar se o taxímetro foi verificado pelo Ipem-SP, o consumidor deve observar a existência do lacre amarelo, que impede o acesso à regulagem do aparelho, e do selo do Inmetro. Caso o lacre esteja rompido, o consumidor não deve aceitar a corrida, pois o aparelho pode apresentar medição incorreta.

O valor da bandeira é estabelecido pela prefeitura de cada município, mas é importante estar atento ao horário em que as bandeiras ‘um’ e ‘dois’ podem ser utilizadas, para não pagar mais caro pela corrida.

Fonte: Ipem-SP

Aumento da competitividade reduz dependência

As inovações que o mundo vivenciou nos últimos 50 anos influenciaram as cadeias produtivas e até mesmo a forma como o capitalismo se desenhou em diversas nações. Segundo o vice-presidente do Conselho Superior de Inovação e Competitividade (Conic) da Fiesp, isso cria uma janela de oportunidades para o Brasil. “Queremos discutir estratégias de desenvolvimento e competitividade”, disse André Clark nesta quinta-feira (26/5), durante abertura da reunião do Conic.

Entre os objetivos estratégicos apresentados, necessários para uma política industrial moderna, foram mencionados: capacidade de produção de alimentos, disponibilidade de energia, redução da vulnerabilidade em Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) e fortalecimento da capacidade produtiva em saúde.

“A escassez de produtos lembrou a todos sobre a necessidade da industrialização”, afirmou Clark. Dois anos de pandemia e a recente crise na Ucrânia acenderam o alerta dos países sobre o grau de interdependência. Diante desta situação, o grande desafio que se coloca para o Brasil é o de buscar iniciativas de ações privadas e políticas públicas que fortaleçam as cadeias de fornecimento e reduzam a vulnerabilidade do Brasil em meio a crises externas.

O superintendente do Departamento de Competitividade e Tecnologia (Decomtec) da Fiesp, Renato Corona, elencou as áreas de atuação do Conic e como o colegiado trabalhará em temas transversais. “Política de desenvolvimento industrial, cadeias de fornecimento, tecnologia e inovação, Indústria 4.0 e digitalização são temas de coordenação do Conic”, explicou Corona.

Assuntos como crédito livre, crédito direcionado, fundos garantidores, mercado de capitais, Reforma Tributária, câmbio, comércio exterior, infraestrutura e economia verde serão abordados em outros conselhos temáticos da Fiesp e em grupos de trabalho específicos, segundo o superintendente.

Para exemplificar a linha de atuação específica, Corona mencionou a Indústria 4.0. “Precisamos melhorar as práticas de gestão e dos processos industriais, o que pode ser feito por meio da digitalização e da modernização do parque industrial”, afirmou. Aliás, o tema tem sido recorrente na Fiesp e motivou o lançamento de um programa de digitalização gratuita, juntamente com Senai-SP e Sebrae-SP, para indústrias com faturamento anual de até R$ 8 milhões.

Política industrial moderna

Corona defendeu a adoção de políticas públicas para superar desafios importantes, tais como os tecnológicos, ambientais ou sociais, cuja realização requer a articulação de uma série de projetos, variados instrumentos e interlocutores dos mais diferentes setores. “Ao cumprir objetivos e metas intermediários, podemos estimular a inovação e induzir investimentos do setor privado, catalisar a transformação estrutural da economia e aumentar sua competitividade, de modo a favorecer o desenvolvimento de longo prazo”, disse.

Segundo levantamento realizado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), cerca de 90% do PIB mundial é proveniente de 84 países, de níveis de desenvolvimento econômico diversos, que adotaram estratégias de política industrial. O exemplo brasileiro mais conhecido foi o do Proálcool, que envolveu diversas políticas de desenvolvimento tecnológico e de investimento em capacidade de produção de combustível.

“Enquanto nas crises econômicas das últimas décadas as principais preocupações eram aspectos financeiros das economias, como, por exemplo, a capacidade de resistência a ataques especulativos, o contexto atual se destaca pela preocupação com a resiliência e a solidez das cadeias produtivas dos países”, afirmou Corona. “Como resultado, vemos o mundo todo se mobilizando para reduzir a dependência de fornecedores externos de bens críticos”. É um novo momento.

Fonte: FIESP

Ipem-SP aprimora digitalização de processos para automação completa

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, publicou no Diário Oficial do Estado de São Paulo, portaria nº 080/2022 com o objetivo de elevar a instituição a novos padrões de excelência com a fixação de recebimento de documentos apenas de forma virtual.

“O Ipem-SP recebe anualmente a média de 24 mil documentos físicos, entre defesa, recursos, e outros, sendo que cada documento possui a margem de 40 folhas, isto conduz a um expressivo número de 960 mil folhas, ou seja, quase 1 milhão de documentos recebidos de forma física que são integralmente digitalizados pelo corpo jurídico do órgão a cada ano. Vale lembrar que a presente portaria representa o primeiro passo para a total automação do Ipem-SP”, explica o superintendente, Ricardo Camargo.

O diretor do Departamento Jurídico do Ipem-SP, Dr. Iggor Dantas Ramos, informa que “com os novos procedimentos o departamento visa garantir à autarquia a economia financeira e ambiental, pois ao estabelecer o recebimento de documentos apenas de forma virtual, o Ipem-SP pode diminuir custos de operação, economizando gastos com papel, equipamentos de digitalização, espaço para arquivamento e até mão-de-obra, que poderá ser melhor direcionada, garantindo pelo menos 50% mais de produtividade dos servidores envolvidos, sem esquecer do nosso compromisso ambiental com as futuras gerações, evitando por conseguinte a derrubada de muitas árvores”.

Segue o conteúdo da portaria Ipem-SP nº 080/2022, publicada em 25 de maio no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

Artigo 1º – A juntada eletrônica de defesas e recursos referentes a processos administrativos de Autos de Infração e Taxas, serão realizadas em duas etapas:

I – Na primeira etapa relativa ao PROTOCOLO / ADPRO, o qual disponibilizará, junto ao Sistema SGI, um número de protocolo que deverá ser transcrito no documento digital apresentado pelo interessado, devidamente inserido no caminho de rede (Jurídico Digitalizados (\\ipem.sp\LOTUS\arquivos) para prosseguimento processual.

II – Cumprida a determinação descrita no item “I”, o documento estará hábil para inserção no Sistema SGI, pelo AGSAU, doravante setor responsável.

Artigo 2º – O recebimento de documentos digitais será realizado de duas maneiras: remessa via correio eletrônico no endereço protocolo@ipem.sp.gov.br ou recebimento presencial de mídia removível (pen-drive) junto ao IPEM-SP, ficando a cargo da empresa e ou interessado que os apresente, sob sua total responsabilidade pela integridade do mesmo.

Parágrafo Único – Cabe ao IPEM/SP receber, protocolar e inserir o documento no Sistema de Gestão Integrado – SGI.

Artigo 3º – Fica criada a caixa de correio eletrônico corporativo protocolo@ipem.sp.gov.br para o recebimento de defesas, recursos, impugnações e demais documentos referente aos processos administrativos de Auto de Infração e de Taxas Metrológicas.

I – Os serviços requeridos por meio da caixa corporativa do IPEM/SP deverão obedecer estritamente aos procedimentos técnicos especificados no Art.5º.

II – A recepção de documentos eletrônicos, requerimentos, defesas, recursos e impugnações só serão considerados recebidos mediante apresentação nos termos do Art. 5º, conforme previsto nesta Portaria, e após sua conferência e protocolo pelo ADPRO.

III – A documentação recebida deve ser de qualidade suficiente e respeitar as especificações solicitadas para aprovação e consequente inserção no Sistema, sob pena de prosseguimento dos autos, desconsiderando-a.

Artigo 4º – Após a conferência do documento pelo ADPRO, poderá ocorrer o recebimento e o registro do documento via número de protocolo SGI, criando a rastreabilidade e disponibilizando o arquivo na rede IPEM/SP, e deverá também realizar a devolutiva do número do protocolo ao contribuinte, respondendo a mensagem via correio eletrônico ou presencialmente via documento ANEXO X.

Artigo 5º – As especificações técnicas devem obedecer:

I – Formato: os documentos digitais deverão ser produzidos ou reproduzidos no formato PDF, padrão ISO 19005-3:2012 (PDF/A – versões PDF 1.4 ou superior);

II – Resolução: A resolução do texto deve ser de, pelo menos, 150 DPI e escala 1:1. ou superior;

III – Capacidade: Todo arquivo deve respeitar a capacidade máxima de 2 MB, necessária para inserção de cada item no SGI, caso o item ultrapasse o tamanho estipulado, deve-se subdividir de forma sequencial, não podendo ter repetição do nome do arquivo, alertamos sobre a presença de imagens que aumentam consideravelmente o tamanho do arquivo. Vide exemplo: (nome do arquivo) parte 1, (nome do arquivo) parte 2, ou mais;

IV – Padronização do nome do arquivo: todo arquivo deve respeitar a descrição do Item, tais como: Defesa, Recurso, Manifestação, Substabelecimento, Procuração ou outros pertinentes. Sempre com o número do Processo, número Auto de Infração e o nome da empresa autuada, por ex.: Defesa AI XXXXX, processo XXX/xxxx, Empresa XXXXXX LTDA.pdf;

V – Não utilizar caracteres especiais do tipo ç,~,/,-,\,@,# e outros, nas palavras utilizadas no nome do arquivo digitalizado;

VI – Limite de tamanho de mensagem eletrônica – 110Mb;

VII – Limite de anexos de arquivos – 50 anexos.

Artigo 6º – O PROTOCOLO / ADPRO deverá verificar antes de realizar o protocolo, se o documento contempla:

I – a identificação do órgão processante ou da autoridade a quem é dirigida;

II – a identificação e a assinatura do interessado;

III – o número do(s) auto(s) de infração e do processo, ou da respectiva taxa metrológica;

Artigo 7º – Fica determinado que, em caso de inserções errôneas de documentos nos processos, ou documentos ilegíveis/arquivos corrompidos não será possível sua exclusão quando ultrapassado o período de inserção de 24h. Neste caso, cabe ao servidor incluir naquele processo uma CERTIDÃO, conforme “ANEXO A”.

Parágrafo Único: O documento digitalizado deverá ser inserido imediatamente no processo correspondente.

Artigo 8º – O interessado ou seu procurador poderá requerer vista dos auto, que será disponibilizado através de terminal disponível no ATENDIMENTO JURÍDICO, pelo prazo de 15 (quinze minutos), de forma a não inviabilizar o atendimento de eventuais interessados ou procuradores que estejam aguardando.

I – Caso o interessado necessite de tempo maior do que 15 (quinze minutos) para consulta dos autos, este poderá aguardar novamente na fila.

II – Caso o interessado necessite dar vistas a mais de 5 processos, este deverá solicitar agendamento prévio, por meio do e-mail: atendimentojuridico@ipem.sp.gov.br.

Artigo 9º – Fica permitido ao interessado ou seu procurador o acesso à internet para envio dos documentos consultados, acessando seu e-mail próprio para o encaminhamento.

Artigo 10 – Fica estabelecido o prazo de 30 (trinta) dias a contar da publicação desta portaria, a fim de viabilizar a migração digital no setor do PROTOCOLO e ATENIDMENTO JURÍDICO, sendo permitido, durante esse período, o recebimento de protocolos em vias físicas.

Ipem-SP

O Ipem-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza diariamente, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, brinquedos, cadeiras de carro para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também proteger o consumidor para que este leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br

Fonte: Ipem-SP

Ipem-SP verifica radar na rodovia Anhanguera

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado, vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania, e órgão delegado do Inmetro, realizou verificação metrológica nesta quarta-feira, 25 de maio, no radar instalado na rodovia Anhanguera (SP 330), km 405, em Ituverava, cidade localizada a 413 km da capital. O instrumento foi aprovado.

Diariamente, o Ipem-SP realiza a verificação metrológica dos radares, instrumentos utilizados para medir e registrar velocidade destinados ao monitoramento do trânsito, em todo o Estado de São Paulo. Conforme a Portaria Inmetro 544/2014, é obrigatória a verificação metrológica uma vez por ano ou toda vez que o equipamento passar por reparo.

A verificação metrológica no radar leva de 20 minutos até uma hora. A ação envolve os fiscais do Ipem-SP e a equipe da empresa responsável pelo instrumento.

Em caso de chuva, a verificação é cancelada. O cancelamento também pode ocorrer poucas horas antes do agendado, conforme solicitação dos agentes de trânsito ou empresa responsável pelo equipamento.

Caso o equipamento seja aprovado, recebe um certificado válido por um ano. Quando há reprovação a empresa fabricante é notificada a corrigir o erro.

Em caso de excesso de velocidade, para aplicação de multas, o equipamento precisa estar verificado pelo Ipem-SP.

A ação foi realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em Ribeirão Preto.

A verificação metrológica

O radar, expressão em inglês radio detection and rangig, é um aparelho que localiza objetos a longa distância utilizando ondas eletromagnéticas. Possui antena emissora/receptora de ondas de rádio que se propagam até atingirem o alvo, retornando ao radar. A diferença de tempo de ida e de volta da onda determina a distância ou a velocidade do objeto. Portanto, nem todos os medidores de velocidade que chamamos de “radar” são radares de fato. Veja:

Medidor por radar propriamente dito: transmite e recebe ondas contínuas na faixa de micro-ondas, propiciando a medição da velocidade do veículo alvo através do efeito Doppler.

Medidor óptico: projeta um feixe de luz (laser) no veículo alvo, e a medição é feita pelo processamento da energia por ele refletida.

Medidor de sensores de superfície: utiliza sensores instalados na superfície da via que detectam a passagem do veículo. A medição é feita em função do tempo de passagem do veículo entre dois sensores cuja distância entre eles é fixa e conhecida.

Em geral, os medidores são constituídos por:

– Dispositivo de detecção, que identifica as distâncias necessárias para o cálculo da velocidade dos veículos.

– Dispositivo de medição, constituído por micro processador e software que capta os dados do sistema de detecção e efetua o cálculo da velocidade.

– Dispositivo de processamento, constituído por um processador e software dedicado ao controle do sistema.

– Dispositivo de armazenamento, que registra e armazena os dados referente à medição.

– Dispositivo de registro óptico, constituído por câmera fotográfica ou de vídeo capaz de identificar o veículo.

Os medidores podem ser fixos, portáteis (tipo pistola), móveis (instalados em veículos em movimento) ou estáticos (sobre suporte que pode ser deslocado de um ponto para outro). No Estado de São Paulo é o Ipem-SP que fiscaliza todos esses instrumentos e verifica se apresentam medições corretas. A verificação dos instrumentos em operação é feita uma vez ao ano (verificação periódica), ou sempre que sofrem manutenção ou transferência de local de instalação (verificação eventual).

As verificações metrológicas são realizadas com a utilização de uma viatura oficial, dotada de medidor de velocidade de alta precisão previamente calibrado (padrão). Os ensaios são realizados em cinco velocidades diferentes. Após a passagem da viatura pelo medidor, os resultados registrados pelo seu sistema fotográfico são confrontados com os resultados obtidos pelo padrão do Ipem-SP.

Os medidores aprovados recebem um laudo técnico com validade para um ano. Se forem reprovados, a empresa responsável pelo medidor é autuada e o equipamento é interditado.

Vale lembrar que para as multas emitidas em função dessas medições serem legítimas, o medidor de velocidade precisa ter sido verificado e aprovado pelo Ipem-SP, e estar dentro do prazo de validade. Para saber se o medidor de velocidade está dentro da validade, acesse o Portal de Serviços do Inmetro nos Estados (PSIE). Acesse https://tinyurl.com/yas4uvds

Ipem-SP

O Ipem-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza diariamente, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, brinquedos, cadeiras de carro para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também proteger o consumidor para que este leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br

Fonte: Ipem-SP

Ipem-SP verifica balanças

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, realizou na segunda-feira, 23 de maio, a verificação inicial de 45 balanças da Coimma, empresa localizada em Dracena, cidade situada a 650 km da capital.    

Na fábrica, a equipe do Ipem-SP realizou o Exame de Conformidade de Modelo Aprovado. Na ocasião, foi feita a verificação da conformidade do instrumento às características de construção descritas na portaria de aprovação de modelo baixada pelo Inmetro, e específica para o modelo inspecionado.    

Na sequência foram realizados os Ensaios de Medição. A balança é submetida aos ensaios de determinação de erros de medição, utilizando-se para isso padrões rastreados ao Inmetro.    

Sempre que um instrumento de medição é verificado e aprovado, recebe uma marca de verificação inicial. Recebe também uma marca de selagem, (selo de material plástico contendo o símbolo do Inmetro) objetivando garantir a inviolabilidade do instrumento.  

Em 2021, o Ipem-SP verificou no comércio 112.928 balanças, e na verificação inicial, no fabricante ou importador, 98.895, e autorizou por meio da declaração do fabricante a comercialização de 204.490.     

A ação foi realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em Presidente Prudente. 

Ipem-SP

O Ipem-SP é uma autarquia vinculada à Secretaria da Justiça e Cidadania do Governo do Estado de São Paulo e órgão delegado do Inmetro. Com uma equipe de fiscalização formada por especialistas e técnicos, realiza diariamente, em todo o Estado de São Paulo, operações de fiscalizações rotineiras em balanças, bombas de combustíveis, medidores de pressão arterial, taxímetros, radares, capacetes de motociclistas, brinquedos, cadeiras de carro para crianças, peças de roupa, cama, mesa e banho, botijões de gás, entre outros materiais. É seu papel também proteger o consumidor para que este leve para casa a quantidade exata de produto pela qual pagou. Quem desconfiar ou encontrar irregularidades pode recorrer ao serviço da Ouvidoria, pelo telefone 0800 013 05 22, de segunda a sexta, das 8h às 17h, ou enviar e-mail para: ouvidoria@ipem.sp.gov.br

Siga o Ipem-SP­­­­­­­­­­­­­­­­­ nas redes sociais @ipemsp

IPEM-SP realiza verificação de radares

O Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado, vinculada à Secretaria da Justiça, e órgão delegado do Inmetro, realizou verificação metrológica na segunda-feira, 23de maio, no Rodoanel Mario Covas, em São Bernardo do Campo

Hoje, quarta feira, 25 de maio, às 10h, no radar instalado na rodovia Castello Branco (SP 280), km 52, em Araçariguama, cidade localizada a 44 km da capital.o Ipem fará a verificação de radares na zona norte da capital.

Diariamente, o Ipem-SP realiza a verificação metrológica dos radares, instrumentos utilizados para medir e registrar velocidade destinados ao monitoramento do trânsito, em todo o Estado de São Paulo. Conforme a Portaria Inmetro 544/2014, é obrigatória a verificação metrológica uma vez por ano ou toda vez que o e\quipamento passar por reparo.

A verificação metrológica no radar leva de 20 minutos até uma hora. A ação envolve os fiscais do Ipem-SP e a equipe da empresa responsável pelo instrumento.

Em caso de chuva, a verificação é cancelada. O cancelamento também pode ocorrer poucas horas antes do agendado, conforme solicitação dos agentes de trânsito ou empresa responsável pelo equipamento.

Caso o equipamento seja aprovado, recebe um certificado válido por um ano. Quando há reprovação a empresa fabricante é notificada a corrigir o erro.

Em caso de excesso de velocidade, para aplicação de multas, o equipamento precisa estar verificado pelo Ipem-SP.

A verificação metrológica

O radar, expressão em inglês radio detection and rangig, é um aparelho que localiza objetos a longa distância utilizando ondas eletromagnéticas. Possui antena emissora/receptora de ondas de rádio que se propagam até atingirem o alvo, retornando ao radar. A diferença de tempo de ida e de volta da onda determina a distância ou a velocidade do objeto. Portanto, nem todos os medidores de velocidade que chamamos de “radar” são radares de fato. Veja:

Medidor por radar propriamente dito: transmite e recebe ondas contínuas na faixa de micro-ondas, propiciando a medição da velocidade do veículo alvo através do efeito Doppler.

Medidor óptico: projeta um feixe de luz (laser) no veículo alvo, e a medição é feita pelo processamento da energia por ele refletida.

Medidor de sensores de superfície: utiliza sensores instalados na superfície da via que detectam a passagem do veículo. A medição é feita em função do tempo de passagem do veículo entre dois sensores cuja distância entre eles é fixa e conhecida.

Em geral, os medidores são constituídos por:

– Dispositivo de detecção, que identifica as distâncias necessárias para o cálculo da velocidade dos veículos.

– Dispositivo de medição, constituído por micro processador e software que capta os dados do sistema de detecção e efetua o cálculo da velocidade.

– Dispositivo de processamento, constituído por um processador e software dedicado ao controle do sistema.

– Dispositivo de armazenamento, que registra e armazena os dados referente à medição.

– Dispositivo de registro óptico, constituído por câmera fotográfica ou de vídeo capaz de identificar o veículo.

Os medidores podem ser fixos, portáteis (tipo pistola), móveis (instalados em veículos em movimento) ou estáticos (sobre suporte que pode ser deslocado de um ponto para outro). No Estado de São Paulo é o Ipem-SP que fiscaliza todos esses instrumentos e verifica se apresentam medições corretas. A verificação dos instrumentos em operação é feita uma vez ao ano (verificação periódica), ou sempre que sofrem manutenção ou transferência de local de instalação (verificação eventual).

As verificações metrológicas são realizadas com a utilização de uma viatura oficial, dotada de medidor de velocidade de alta precisão previamente calibrado (padrão). Os ensaios são realizados em cinco velocidades diferentes. Após a passagem da viatura pelo medidor, os resultados registrados pelo seu sistema fotográfico são confrontados com os resultados obtidos pelo padrão do Ipem-SP.

Os medidores aprovados recebem um laudo técnico com validade para um ano. Se forem reprovados, a empresa responsável pelo medidor é autuada e o equipamento é interditado.

Vale lembrar que para as multas emitidas em função dessas medições serem legítimas, o medidor de velocidade precisa ter sido verificado e aprovado pelo Ipem-SP, e estar dentro do prazo de validade. Para saber se o medidor de velocidade está dentro da validade, acesse o Portal de Serviços do Inmetro nos Estados (PSIE). Acesse https://tinyurl.com/yas4uvds

Fonte: Ipem

pt_BRPortuguese